terça-feira, 19 de outubro de 2010

Sistema de Tutoria em Cursos a Distância

Iniciamos a segunda disciplina do curso, e além de disciplina nova também se trata de um grupo novo. Isso faz sentir o quanto é dinâmico um curso a distância. O fato requer um novo fórum de apresentação, com intuito de os alunos se conhecerem melhor para daí partirem para as discussões referentes aos temas que são propostos. Mas também mudou a tutoria, e agora estamos sob os cuidados de uma outra tutora.

Há agora uma nova maneira de se trabalhar. Se na primeira disciplina, Fundamentos de EAD, tivemos que exercitar nossa capacidade de resumir ideias, sintetizar conteúdos, nesta disciplina deveremos produzir partes do que será o nosso trabalho final. Um novo desafio a ser vencido. Como dar continuidade ao texto, sem que este fique desconexo quando for concluído? Muito interessante, os desafios é que fazem o aprendizado seguir.
E por conta dos desafios estamos discutindo a  questão da motivação, da interatividade, da comunicação em ambientes virtuais de aprendizagem (AVAs). Durante as discussões uma colega falou sobre a necessidade de se gostar daquilo que se faz, ou seja, fazer com amor. Fica uma sugestão de vídeo que mostra o que é exercer sua função de tutor com amor; trata-se de um vídeo produzido a partir de um texto de Gabriel Perissé, cujo título é "Professores Apaixonados". O vídeo foi publicado originalmente no Youtube, mas vamos reproduzí-lo abaixo:



O endereço do vídeo é: http://www.youtube.com/watch?v=P2HvaAjOQjs acesso em 19 de outubro de 2010.

Sobre a paixão da profissão, também fica um vídeo de Paulo Freire, sobre a descoberta de um aluno ao escrever na lousa o nome de sua mulher.



O endereço do vídeo é: http://www.youtube.com/watch?v=KOCHMSrmH5w acesso em 19 de outubro de 2010.

Quanto a interatividade na Educação a Distância, além do que é fornecido no Guia de Estudos e sugerido como leitura complementar, fica aqui uma outra sugestão de leitura que é um livro de Cláudia Landim, intitulado Educação a Distância. A referência a esse livro foi encontrada no link http://penta2.ufrgs.br/edu//tecnoeduc/eduinter.htm, cujo conteúdo está reproduzido abaixo, e na integra:

"A INTERATIVIDADE NA EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

Embora INTERATIVIDADE seja o fenômeno elementar das relações humanas, entre as quais estão as educativas, seus pressupostos não são comumente abordados.
INTERATIVIDADE por si só, nas relações comuns e universais, já é complexa o suficiente para exigir o concurso de fundamentos sociológicos, psicológicos (da educação e social), linguísticos, semióticos, para não falar em fundamentos históricos ou antropológicos. INTERATIVIDADE depende da cultura do grupo.
No caso da Educação à Distância, o problema se agrava, porque o material instrucional é o mesmo que vai ser estudado por muitas pessoas, cada qual limitada, de certo modo, por sua cultura grupal/social. É uma dificuldade a ser enfrentada e, sem dúvida, passível de superação, no caso de se ter o cuidado de estar sempre atento à realidade das diferenças individuais.
Interagir com pessoas que têm diferentes princípios de vida, costumes, habilidades, conhecimentos, precnceitos, limitações, escolaridade e objetivos exige atenção e flexibilidade para localizar e procurar resolver dificuldades, bloqueios, incompreensões, objeções, etc... Não será incomum o surgimento, no processo de troca, de mensagens duplas, paradoxais, falsas, contraditórias ou incompreensíveis.
Como a educação é um processo de comunicação mediatizada, no caso da EAD, o texto, que é uma mensagem, está, automaticamente, sujeito às incidências das dificuldades referidas, exigindo, extamente por isto, maior cuidado na elaboração didática e nos demais passos do processo, a fim de evitar a interferência negativa dos diversos fatores em jogo. A interação, em EAD, não se dá apenas entre o aluno e material instrucional, alunos entre si, alunos e tutor, alunos e instituição de ensino. Dá-se, também, entre os demais elementos que compõem o universo do aluno (história de vida, família, trabalho, classe, outros grupos a que pertença). E é com a conjugação destes fatores que a EAD permitirá a auto-estruturação e a autodireção do aluno --- metas básicas de qualquer curso que se ministre.
Diante da diversidade, é preciso atenção para valorizar as diferenças, estimular idéias, opiniões e atitudes, desenvolver a capacidade de aprender a aprender e de aprender a pensar, assim como levar o aluno a obter o controle consciente do aprendido, retê-lo e saber aplicá-lo noutro contexto. A orientação e a diretividade são fundamentais para que o material instrucional realize o objetivo que deve caracterizá-lo.
Distância não é epenas espaço físico, mas também psicológico, social, lógico, cultural, econômico, filosófico, entre outros. Em função disto, deve-se considerar que:
alunos de EAD são adultos com uma história de vida que inclui conhecimentos, experiências e habilidades. Não são indivíduos passivos. Ao contrário, são críticos, exigentes e conscientes de suas metas --- não obstante as exceções. Não aceitam, como receptores apáticos, um conhecimento "pronto e acabado", sem questionar e sem argumentar;
trazem sua bagagem pessoal de habilidades e experiências, que se traduzem:
nas matrizes de comunicação, produto de sua formação pessoal/familiar, onde a interação se foi marcando, de modo que cada um interpreta, conceitua e assimila o processo relaiconal segundo sua visão pessoal (estereótipos, representações sociais, crenças, hábitos);
nas vinculações à comunidade de que faz parte, lembrando que tal comunidade é composta de subgrupos locais e regionais de diversos tipos, como familiar, profissional, religioso, social;
o diálogo (INTERATIVIDADE), representado pelas mediações pedagógicas que se estabelecem entre os elementos do processo (alunos e material instrucional, alunos e tutor/instituição, alunos entre si), é uma função crítica na aprendizagem. O diálogo depende, portanto, de como, quanto, onde, quando, " o aluno tem acesso às informações para construir seu saber ";
todo o material educativo tem que ser permeado pela ética; no caso da modalidade de EAD, ela se torna o ponto central, pois é preciso que os alunos se sintam respeitados, atendidos, valorizados, bem recebidos e benquistos, não sob o formalismo do trato profissional, mas, em se tratando de educação, principalmente, sob a cordialidade e o repeitoso atendimento que, sem dúvida, há de suscitar neles o comportamento recíproco.;
A interatividade envolve "as mediações que constituem o tratamento dos conteúdos e das formas de expressão e relação comunicativa, que possibilitam a aprendizagem à distância". Nela se destacam os seguintes fenômenos interativos:
as áreas de conhecimento e a prática da aprendizagem por parte do aluno;
a elaboração didática e gráfica (forma e conteúdo) de programas e materiais dos alunos;
os tutores e os alunos e os alunos entre si (círculos de estudo), vinculando ou não por tecnologia diversa (inclusive, interação virtual, via correio eletrônico) a diversos contestos.
Considerando-se que o processo de Educação à Distância se dá entre humanos, é preciso que todos estejam preparados para administrar conflitos, contradições e dilemas em qualquer fase do processo. Minimizar ou ignorar esta realidade é negar o próprio contexto em que se vive, em qualquer setor: familiar, profissional, educacional, social, etc... Tê-los como dados concretos da realidade humana é já estar no caminho de lidar com eles e de resolvê-los.
( Extraído do livro EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA, da Professora Claudia Landim )"


O conteúdo acima foi acessado no link indicado em 19 de outubro de 2010.

domingo, 26 de setembro de 2010

Este logotipo destina-se a realização da Atividade Cinco da Equipe D

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Polo da UAB em Tarumã

Hoje você está convidado a conhecer o Polo de Tarumã da Universidade Aberta do Brasil (UAB), um dos polos que oferecem o curso de Planejanemento, Implementação e Gestão da Educação a Distância (PIGEAD). A unidade tarumãense começou a funcionar há 4 anos, nas depedências da EMEIF Maria Antonia Benelli, e um ano depois ganhou um bloco exclusivo para suas instalações dentro do mesmo terreno. Na mesma época foi construída a quadra poliesportiva e de multiuso.
O Polo de Tarumã iniciou suas atividades oferecendo dois cursos da UFSCar, Sistema de Informação e Tecnologia Sucroalcooleira, no ano seguinte deu início a primeira turma de Pedagogia, e agora está com inscrições abertas para o vestibular visando o ingresso de novas turmas para estes mesmos cursos. Para saber mais sobre o vestibular acesse o site da Vunesp (www.vunesp.com.br). Agora em 2010, o Polo também iniciou o curso de PIGEAD, ofertado pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Novas IES devem começar, em breve, a disponibilizar cursos em Tarumã, tornando, assim, a cidade como detentora do maior polo da UAB do Vale Paranapanema, região do estado de São Paulo que congrega 18 municípios. Em momento oportuno estaremos divulgando aqui as instituições que estão se juntando a UFSCar e a UFF bem como os respectivos cursos. A expectativa é grande, tanto da coordenadora do Polo, a Senhora Stelamary Despincieri, do grupo de tutores presenciais e de toda a cidade e região, já que os cursos devem ampliar a oferta de profissionais qualificados para o mercado de trabalho. Aliás a qualificação da mão-de-obra é um grande desafio por conta da crescente mecanização da agricultura,  visto que a atividade agrícola é a responsável por manter a economia regional. E a mecanização faz aumentar a procura por profissionais qualificados, bem como exclui do mercado de trabalho, e logicamente do mercado consumidor, boa parte da população, que mesmo morando na área urbana, trabalha ou trabalhava na produção agrícola e que não exige classificação ou determinado grau de escolaridade como outras atividades profissionais, mesmo que voltada para agricultura, como é o caso do corte de cana-de-açúcar ou do cultivo de milho, soja e trigo.

Conheça no vídeo abaixo um pouco das instalações do Polo da UAB em Tarumã, interior de São Paulo.

video


Para saber um pouco mais sobre Tarumã, acesse o site da prefeitura municipal que é www.taruma.sp.gov.br, e entre outras coisas saiba porque no hino do município há referência a Vila Lex ou a origem do nome do município.

domingo, 15 de agosto de 2010

Logotipo

Estamos num mundo em que a imagem é associada ao produto ou serviço que se quer oferecer ao mercado. Um logotipo, ao ser visualizado, deve transmitir a ideia e estar diretamente ligado ao produto ou serviço. Os logotipos passam a ser um patrimônio de empresas e instituições, e muitas das vezes valem tanto quanto a estrutura física das mesmas. 
Assim, resolvi criar um logotipo para o nosso curso e optei por disponibilizá-lo para todos os colegas. Não é preciso dar crédito, uma vez que ele foi desenvolvido numa plataforma gratuíta disponível na rede mundial de computadores.
Como estamos, a partir de agora, elaborando nossos textos e os mesmos precisam ser idenfificados, pode ser interessante que isso ocorra de maneira padronizada. Assim, os usuários do blog podem copiar o logo e inserí-lo no topo do referido trabalho. 
Para copiá-lo basta clicar sobre a imagem, que irá abrir uma outra página, novamente clicar sobre e a imagem com o botão direito do mouse, selecionar "salvar imagem", escolher uma pasta onde a mesma ficará salva em seu PC, e a partir daí transportá-la para o seu trabalho, utilizando o ícone "inserir" da barra de ferramentas de seu editor de texto. Espero que gostem!
Justificativa:
No logo constam a abreviatura do nome do curso sendo que a letra A é substuída pelo @ que identifica como sendo algo relacionado a comunicação eletrônica, e-mail no caso; o nome da instituição que oferece o curso e as setas partem de um ponto e levam para várias direções. Exatamente como é o nosso curso. Parte-se eletronicamente de um ponto comum que é o LANTE e chega a todos nós, independentemente de onde estamos. Quanto as setas, indicam os diferentes destinos e suas cores significam respeito às nossas diferenças.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Primeiro dia na UFF

Depois de passar pelo processo seletivo, iniciado em maio, os alunos dos cursos de pós-graduação em Novas Tecnologias no Enino da Matemática (NTEM) e Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância (PIGEAD), oferecidos pela Universidade Federal Fluminense (UFF) tiveram um momento de confraternização e de contato mais direto com os cursos e a instituição de ensino com a aula inaugural. A aula inaugural dos cursos ocorreu em conjunto porém em dias diferentes dependendo do Polo em que os cursos são ofertados, nos dias 24 e 31 de julho. No caso desta postagem estamos nos referindo à aula ocorrida em 31 de julho, no Polo de Itapetininga, da qual participaram alunos dos Polos de Campinas, Porto Feliz, Tarumã e Votorantim e do polo anfitrião. 
Mais especificamente sobre o Polo de Tarumã, cerca de 15 alunos estiveram presentes na aula inaugural, que no caso começou bem antes, por conta da viagem Tarumã/Assis até Itapetinga, com aproxidamente 280 quilometros de distância. O transporte foi providenciado pelo Polo de Tarumã junto à prefeitura municipal. A distância foi vencida com muita expectativa, afinal, os alunos, ou muitos de deles, ainda não se conheciam pessoalmente, e nenhum conhecia a cidade para qual estavam seguindo. 
A viagem foi tranquila, tanto na ida quanto na volta, e a expectativa foi ultrapassada quando da chegada ao destino, devido as belas instalações do polo itapetininguense. 
Lá todos foram cordialmente recebidos pela coordenadora do Polo, a professora Vera. De maneira rápida, um representante do prefeito municipal contou um pouco sobre a história da cidade e sobre sua importante caracteristica histórica, que é a de ser a cidade das escolas. Para saber mais sobre Itapetininga acesse o site da prefeitura municipal cujo endereço eletrônico é www.itapetininga.sp.gov.br. 
Quanto à aula inaugrual, ela foi proferida pela professora dra. Regina. Ela contou sob sua trajetória acadêmica, a existência da UFF e a implantação do ensino a distância pela instituição e, claro, abordou as linhas gerais de ambos os cursos. 
Nesta postagem você pode ver as fotos do polo, que até a professora Regina, disse estar impressionada com o local. Por conta disso ela comentou sobre as diferenças regionais e como as educação a distância pode contribuir para a superação de tais diferenças. Segundo ela, que visitou uma série polos da UAB pelo país, não há polo que já conhecesse com uma estrutura fisica como aquele. No entanto, por conta do sistema implantado a partir da criação da chamada Universidade Aberta do Brasil, locais onde falta estrutura física e até a energia elétrica é escassa todos os alunos dos mais diferentes pontos do pais conseguem acesso ao ensino de qualidade. Aí está um grande diferencial da UAB e que a UFF contribui para acontecer. 

Polo Itapetininga - Entrada
Polo Itapetininga - vista lateral esquerda
 Polo Itapetininga - Hall de entrada










Polo Itapetininga - estacionamento
 
Abaixo vídeo mostrando um pouco sobre a chegada a Itapetininga a partir de dentro do ônibus que transportava os alunos de Tarumã, o interior e parte externa do Polo EaD "Chopin Tavares de Lima". 
Para saber mais sobre o referido polo click aqui

video

A seguir vídeo com a parte da aula inaugural comum aos cursos de NTEM e PIGEAD
video

Neste vídeo o trecho da aula inaugural referente de PIGEAD

video

Peço desculpas pela qualidade do som. Nem tudo sai como a gente quer, não é mesmo?


Se você tem alguma ligação com o curso de PIGEAD da UFF e quer ver seu polo ou qualquer outra informação sobre o andamento do curso publicado neste blog entre em contato pelo E-mail blogpigeaduff2010@gmail.com 


Está publicação é uma realização do aluno Silvio Luís de Carvalho, do Polo de Tarumã, e está a disposição de todos os participantes do curso. Envie textos e imagens, todos com a devida identificação é claro, que serão publicados aqui, e também serão mantidos os referidos créditos.